sábado, 15 de janeiro de 2011

Marcas

Marcas

Levamos no corpo e na alma as marcas do tempo. A cicatrizes da infância feitas pela impaciência e pelas artes. As marcas estão pelos joelhos, nas pernas, nas mãos cicatrizes do comportamento indomado e deseducado. Passado a infância essas marcas não se apagaram, pelo contrário novas cicatrizes são criadas, não mais pelas artes, mas pelo trabalho que se estendem pelas mãos, dos trabalhos manuais. As cicatrizes da infância trazem boas lembranças. Todavia essas marcas são insignificantes. Descobrimos na adolescência o desejo, a ira, a inveja, a tristeza e todos os sentimentos humanos provindas do entendimento humano do mundo. A partir daí surgem as cicatrizes, marcas no espírito não mais na carne. São os dramas vividos pelos seres humanos que se estendem pela vida adulta. Não seria a vida uma viagem e ao longo dessa que em determinadas paradas alguém é obrigado a descer ou alguém é determinado a subir na sua viagem e tornam sua viagem uma peça ilusória. Essas transferências marcam tão fundo que as vezes chegam a tirar o sabor, as cores e a magia da vida, são marcas que nunca se apagam e as vezes provocam desilusão. Levamos todas essas marcas no nosso corpo e em nossa alma. Nos autoenganamos para conseguirmos suportar a vida. Visto que são as cicatrizes, as marcas, que vão nos moldando e dando vida aos personagens que nos apropriamos e nos constituímos. Se ao longo da vida somos muito marcados já nem sabemos mais encenar, uma nova peça, pois as marcas nos tornam pessoas duras, inflexíveis, donos da verdade. Que seria isso senão ilusão. Porque cremos que as marcas nos dão autoridade não seria a construção de uma ideia ilusória. Talvez sim, mas é assim que nos construímos ou somos construídos. Quem sabe? Viver é um eterno aprender e as marcas são aprendizado que não nos faz esquecer que somos humanos, nossas fraquezas e nossas forças nos mostram os nossos limites. Limites estes que podem ser quebrados somando-se o tempo. Sim talvez as marcas nos dêem, mas não podemos de maneira alguma usar desta como verdade plena, pois cada pessoa tem o próprio corpo e a própria alma e através da própria experiência ter suas marcas, pois cada ser é única. O máximo que podemos fazer é dar um norte, mas por longe. É o tempo quem determina cada marca de cada pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário