quarta-feira, 21 de março de 2012

Poeira de sol

O sol da tarde tingiu
de vermelho nuvens
escuras ou eram azuis.
E a luz vermelha
parecia poeira
no espaço
que se decanta
lentamente, lindamente.

Eu me senti
menor do que sou,
um ponto
imerso no nada,
um ponto escuro
que sumia na noite
nua.

A gente se sente tão pequeno
diante da beleza da natureza.

Fico sempre emocionado
com o crepúsculo
seja ele no aurora
ou no por do sol.

Estes estremos
são como o mar
e nos revelam
quão pequenos somos,
menores que grãos de areia.

Nos somos verdadeiras
formiguinhas
muitas vezes desunidas.

Mas o por do sol de hoje
me revelou seu esplendor
e minha natureza
sentiu-se feliz

Nenhum comentário:

Postar um comentário