quarta-feira, 27 de abril de 2011

Sol


Olhei para o sol e de que lembrei?
De nada, pois parece está sempre
presente em minha vida, parece não
ter muita importância, parece me seguir,
que pretensão a minha, achar
que o sol é meu, achar que o mundo
é meu e esquecer que nada é meu,
que a vida é efêmera.
Lembranças tenho muitas,
da lua, das estrelas e do sol
diretamente não tenho.
Não posso olhar para o sol,
mas posso sentir sua luz,
sentir o que ela produz
e o quanto é importante em minha vida,
sem ela não haveria comida,
não haveria vida no sentido lato,
Mas o que lembranças tenho do sol?
Talvez não perceba, mas sua
presença faz parte de minha essência.
Assim amo o sol e tudo que
dele advém,
isso me lembra um colega
cujo o apelido era GATO
que dizia que o sol nasceu
para muitos, mas que a sombra
era para poucos, por isso
as vezes me irrito com o sol,
mas sem ele tudo são trevas,
tudo é obscuro como o que
há por trás do muro,
que há por trás da mente?
O sol ilumina tudo, posso não ter
lembranças dele,
mas talvez por se achar um
sol. Sabe lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário