sexta-feira, 8 de abril de 2011

Mundos

Certo dia sai de casa a noite. Fui para muito longe para onde não sabia ir, nem sabia como voltar.
Cheguei a esse lugar dormi e quando acordei, nada reconheci, todo aquele ambiente era novo. Tudo meu mundo ficara pra trás longe da li. Tudo que tinha eram lembranças, todo meu conhecimento era adaptado ao mundo que deixei para trás. Reconhecia as coisas, suas utilidades, mas teria que aprender a conhecer cada coisa nova. Então eu nasci novamente, nasci, adulto, tudo que tinha era meu pequeno conhecimento de mundo, então fui adaptando e aprendendo como criança. Tive que aprender nomes de ruas, conhecer e me comunicar com gente desconhecida, tive que reaprender quase tudo. Olhava muito para meu antigo mundo, pensava muito no mundo que eu almejava, mas estava na realidade que iria me proporcionar atingir meus objetivos. Quando tudo parecia escuro, frio, vazio, sem cor, eis que fui aprendendo lentamente e me adaptando ao novo mundo, de maneira que já me reconhecia neste novo mundo, cheio de novidades. Fiz amizades, aprendi a ser uma nova pessoa, adaptando tudo, não dava para ser a mesma pessoa, para meu antigo mundo eu já não era mais eu, para o meu mundo atual eu era eu, mas precisava muito mais para ser aceito neste mundo, então muitas vezes me angustiava por ainda ter essência do antigo mundo, não me assumia como eu, então aprendi a seu eu mesmo neste novo mundo a duras penas. Sofri, por negar quem eu era e o que eu era. No meu antigo mundo eu me sentia especial, neste mundo procurava me afirmar como alguém, era muito imaturo, e tinha sede de ser, de viver sempre neste mundo, mas me punia por isso, minha visão de mundo era muito restrita, e o tempo como o dia, como o vento, vai passando e mudando a forma de ver o mundo de maneira que vais se acostumando, se acomodando, desvalorizando voce mesmo. Até que esse novo mundo já não cabia mais a mim, então tive que partir para outro mundo, e tudo se passou como num reflexo do espelho, só agora já estava mais tolerante, mas sempre aberto ao conhecimento, meu novo mundo substituiu o antigo do antigo, então quem era eu? Não sabia, mas comecei a me afirmar como ser voltando para meu mais antigo mundo, comecei a rever o mundo como criança e a aceitar eu como eu mesmo. Então sobrevivi. Hoje não sei mais para onde irei, como farei? Mas perdi o medo de atravessar os mundos, atravessar a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário