quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Vida sangrada

A vida vale um celular, parece que vale bem menos.
Com uma arma na mão eis ai um superhomem que com o seu poder pode tirar um ou várias vidas.
Basta que ele pense que pode fazer isso ou que ele queira fazer isso e assuma as consequências.
Mas que consequências? Hoje se mata por causa de um celular, se mata sem razão. Matar não requer razão, ao contrário matar é perda da razão. O que podemos fazer se inventamos a arma, mas ao fazer a arma não se pensou no ato irracional de matar. Estamos literalmente nos matando por objetos.
Ontem um delinquente disparou um tiro na cabeça de uma moça, porque assim achava que podia.
Este meliante pediu o celular e a moça falou que não tinha.
E se ela não tivesse mesmo?
O sangue a vida foram derramados por causa de dois objetos. A arma e o celular.
Quanto vale uma vida?

Nenhum comentário:

Postar um comentário