terça-feira, 31 de maio de 2011

Manhã

Quando acreditamos em algo, fazemos tudo para que esse algo se torne real.
Quando acordo cedo, acredito que meu dia vai ser melhor, sou o inverso de
muitas pessoas, prefiro ver o sol nascer, mas Ana, minha namorada,
tem um apetite pelo sono voraz. Acho que poderia dar o título de pestana
de outro, quiçá de diamante. E quando estamos juntos fico no escuro
ouvindo seu ressonar, e dorme, se deixar até a manhã acabar. Eu prefiro
acordar cedo, bem cedo. Gosto de ver aurora, de ver o sol nasce,
a grama orvalhada, as flores enebriadas com seu arma branco e doce,
gosto de encontrar as pessoas e falar bom dia, gosto de ler o jornal,
de ouvir o que se passa no mundo pela internet. As vezes acordo muito
cedo e penso ser anormal, mas talvez não. Quando morava em serrinha
eu adorava acordar cedo pra ouvir o canto da passarada e depois dormia,
mas não gostava de dormir, gostava de ficar sob as cobertas,
pois lá fazia um frio muito forte. E foi assim que me constitui,
confesso que quando acordo tarde eu fico irritado, assim como
quando estou com fome. Então aprendi a pensar em algo,
não dar para ver nada no escuro do quarto, além da luz que atravessa
a fresta da janela. E eu fico assim divagando,  ouvindo Ana
ressonar, pensando na vida, no que fiz ou deixei de fazer.
O fato é que adoro a manhã por usa aurora,
por seu clima ameno,
por ser a manhã linda e maravilhosa,
vestibulo do dia, começo de poesia
e assim é.

Nenhum comentário:

Postar um comentário