quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Calor

É tarde da noite,
O vento não apareceu,
faz um calor danado,
não tem quem consiga
ficar sem um ventilador,
que fazer pra fugir de tanto calor.

Uma folha sequer se mexe,
essa casa apesar de branca
arde de calor, parece está
em febre.

O corpo prega, sua,
há uma impaciência,
um sono desassossegado.

Mas é noite,
mais uma noite,
o corpo cansado,
logo adormecerá
um novo dia virá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário