quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Sentir

A manhã vazia de sol oculto pelas nuvens,
Prédios vazios, o silêncio das palavras.
Cantam as aves lá fora,
Aqui dentro, soa Debussy.
E dentro de mim, há um universo,
Oras fluído, oras engessado,
Feito estalactite se desfazendo
E se fazendo...
Algo em mim quer ser expressado,
A palavra? A ação?
Algo indefinido grita...
Será a manhã ou a solidão?
Talvez nada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário