quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Ao tempo

Marco no tempo meu invento,
meias palavras, suaves palavras,
tento congelar no tempo,
mesmo que por breve momento,
algum invento,
um pequeno texto,
que diga algo,
que me faça lembrar,
por muito tempo,
e nem mesmo o tempo
possa apagar,
sabe-se lá,
se somos nada,
se vivemos no mundo
tal qual um grão perdido na areia,
quem sabe
se por um breve momento
sou tudo e nada,
quem sabe,
pelo menos não me cala
o tempo e o nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário