sexta-feira, 28 de junho de 2013

Atônito

Como é profundo o mundo.
Há tanta coisa a se revelar
a meu olhar, meu sentir,
meu cheirar.
A todo instante sou surpreendido,
com uma palavra, uma imagem,
um aroma, um som.
Do nada conheço
alguém que me surpreende,
uma biografia, uma poesia,
uma canção.
Não quero ser uma pessoa engessada,
embora no dobrar dos anos,
o cansaço enrijece minhas ideias,
sou mais cautelosos ao novo.
E sinto que nunca saberei
nunca tocarei na profundidade do mundo,
mas me surpreenderá sempre
o humano.
Ontem, pela primeira vez ouvir falar
sobre Hilda Hist, uma grande poeta,
fiquei atônito, nunca havia
ouvido falar sobre esta grande poeta.

A combinação das palavras
o despertar para o mundo
que se faz cada dia mais
revelado e profundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário