domingo, 5 de julho de 2009

O crepúsculo

O crepúsculo me segue,
desde as tardes que consegui perceber a natureza,
posso até está esquecido como eu era, mas o crepúsculo me segue,
lindo vermelho como mercúrio,
ah quantas vezes olhei o horizonte nu,
quantas vezes vi as estrelas despontarem no céu,
rubro o céu de desfazia em negra noite,
quantas poesias...
quantas vezes sentado a balança,
me peguei imaginando o futuro,
quantas vezes lia uma poesia,
um texto em balado nas cores,
quantas vezes não sonhei acordado.
olhava o horizonte vermelho, por detras da fachina, dos angicos.
pro poente.
a natureza toda se transforma,
mas o crespúsculo é o mesmo,
mesmo belo desde a minha infância.

Nenhum comentário:

Postar um comentário