quinta-feira, 10 de julho de 2014

A tarde

E no cair da tarde,
Quando o sol quebra para o poente,
As águas da superfície mornas,
Exalam um cheiro de água,
Exalam um cheiro de sal de mar.
E vemos a tarde partir,
Sentimos a tarde partir,
A tarde marca com sua partida,
muito mais que as manhãs.
As tardes parecem serem vivas.
Vivas como um coração a pulsar,
Vivas ao se desfazerem no ar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário