domingo, 11 de dezembro de 2011

As coisas

Tantas coisas posso pensar sobre a vida. Coisas boas ou ruins. Posso filtrar muitas destas, mas  não posso me livrar de vive-las. Afinal tudo faz parte da vida,  ou melhor a vida é o todo e não partes. Quem seria eu se só conhecesse as coisas boas e desconhecesse as coisas ruins? Mas o fato é que muitas pessoas tiveram a sorte ou azar de viver só as coisas boas. Desculpe pelo substantivo coisas, mas entendo e muitos entendem então opto pelo que mais pessoas entendam, os que não gostarem nem leiam. Enfim, muitas coisas acontecem em nossa vida e não temos domínios sobre ela. Por exemplos, não escolhemos nascer, nossos pais ou as condições que nos e dada quando nascemos. Tive a sorte de nascer e crescer num sítio, você pode esta pensando é ele teve sorte, ao mesmo tempo outra pessoa pode dizer tive a sorte de nascer numa cidade grande, mas todos somos unanimes que nascer com o mínimo de conforto é o básico, no entanto, há pessoas que nem essa teve essa sorte. Foram jogadas no mundo, tiveram apenas o ato de nascer e depois foram abandonadas nas ruas. Feito animais necessitam buscar o que comer. 
Bem quantas coisas poderia escrever, mas não sei o que escrever, porque muitas vezes as coisas querem ser escritas, as vezes as ideias elas criam vida na cabeça da gente feito berne vai nos consumindo por dentro.
E então quando vou fazer um texto as ideias tomam conta de mim e querem sair, ganhar substância, se materializar. Algumas coisas me revoltam, as coisas ruins por exemplo as vezes são tão fortes que me deixam triste.
E muitas vezes as pessoas tentam explica-las usando astrologia, coisas ocultas, outras vezes acham que a fé vai nos livrar. Sei lá, somos todos malucos e pensamos tantas besteiras na vida. Não pensamos em nada substancioso.
Na verdade estamos sempre tentando explicar o inexplicado. Viver é tudo e nada ao mesmo tempo, essa relativização é uma merda, mas a vida é autônoma, cada um faz o que quer da sua, mas aceite as consequências.
Acho que perco meu tempo pensando nessas coisas. As malditas coisas "boas" ou "ruins".

Nenhum comentário:

Postar um comentário