segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Descoberta

Quando a chuva se vai,
Os pingos ecoam
E se derramam por um bom tempo,
E a brisa passa
Enquanto isto o solo ainda tem o espelho da água que caiu da chuva.
As folhas gotejam generosamente a água que poderia absorver,
Mas cabe a raiz beber a água da chuva,
A folha apenas respirar e purificar o mundo quando é dia.
Shodtakovich tornou a noite ainda mais harmoniosa,
Nem quero ir dormir, mas devo...
Minha natureza necessita recolher e reenergizar
para o novo dia,
Mais uma rocha a Sisifo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário