sexta-feira, 1 de março de 2013

Ócio da noite

É noite.
Tudo em silêncio, exceto o ar condicionado do shopping vizinho.
O escuro da noite é quebrado pelas luzes frias da rua que ilumina com um verde escuro
a grama do jardim.
Através da janela nada de interessante para ver.
A quitinete vazia e silenciosa. Abro o computador, ponho pra tocar algo.
Faz calor, ligo o ventilador... e tento fazer coisas relacionada ao meu trabalho ou a estudo, mas não consigo. Não me concentro em nada. Parece que há algo me revelando que neste momento estou só.
Vou a estante olho meus livros, objetos e imagens... o ócio me consome.
Posso fazer mil coisas como ler, ver um filme ou fazer o que deveria fazer, mas me recuso
a fazer qualquer coisa. Pego o telefone e ligo, a conversa não me agada então desconverso e desligo.
E o dilema e a angústia me consome porque não faço o que devo fazer.
E a noite passa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário