domingo, 23 de maio de 2010

passa!

Por que muitas pessoas são tão ingratas?
No fim da década de oitenta e começo de noventa, quando ainda morava em Serrinha dos Pintos, numa pequena comunidade chamada Serrinha do Canto, lembro que a minha vida era depentente completamente do campo. Morava com meus pais e meus irmãos num pequeno sítio. Fazia poucos anos que havia colocado eletricidade e não tinha serviço de água encanada ou sequer telefone. O único meio de comunicação era a tv e o rádio.
Bem nossa comunidade era bem pobre, mas unida. E durante esse tempo fui criada uma comunidade onde os associados conseguiram alguns recursos para melhorar a vida daquelas humildes pessoas que o pouco que ganhava era para sobreviver, quase todas as pessoas tinha um pequeno curral com 2 a 3 vacas, um jegue e galinhas. Tinha também os pequenos sítios onde muitas vezes se colhia frutos dos mais diversos. Bem o fato é que essa associação conseguiu máquinas que servia para escopar arroz, e debulhar milho, era pequeno, mas me lembro muito bem, todas as vezes que era época de debulha de feijão e milho parecia uma festa, bem essas máquinas, foram doadas e uma certa família que por ter amizade com um agronomo e mexia com essas coisas, doou parte da propriedade para construir os prédias para abrigar esses objetos. Um rapaz bem desenrolado, Jeziel, passou a tomar conta dessas maquinas e aos poucos foi conseguindo uma certa altoridade, passou a gozar de uma maior afeição entre as pessoas, com o tempo ele passou a ser o cara mais cotado para casar com as moças do povoado. Então ele resolveu crescer mais e junto com um amigo que vira de São Paulo com um certo capital montou junto uma loja de confecções.
Onde confecçionava em escala maior o comércio começou a se desenvolver, mas com a inexperiência e o pouco dinheiro, este passou a fazer empréstimos, com alta taxa se juros, acabou que virou uma bola de neve e o seu sócio polou fora antes do barco afundar. Bem essas dívidas foram cruciais e todo o prestígio que tanto deu duro para adquirir foi por água abaixo. Muitas vezes foi ameçado até de morte, não dormia direito. A vida não dar mole e durante esse periodo sua irmã que ajudara na loja teve um forte aneurisma e veio a falecer e pouco tempo depois foi também seu pai.
Então casado com uma filha, ele resolveu lutar, mesmo sendo desprezado por todos até mesmo os irmãos lhes deram as costas. Em decorrência da situação, estiagem de dinheiro, todos queriam ele para cristo. Mas ele não desistiu foi pagando um a um e certamente, talvez ele pagou a todos. Hoje ele deu a volta por cima. Mas já não tem o sorriso que tinha.
Uma pessoa tão boa, foi um dos primeiros a ter telefone na comunidade, sua casa muitas pessoas utilizavam seu aparelho, pessoas que ficaram contra ele.
Não acho que o que ele fez é certo, mas deveria repensar o que ele fez por todas aquelas pessoas.
Acho que muitas vezes, pensamos só em nós mesmo, Atitude covarde e egoísta, somos incompreensiva para com os outros.
A vida passa, todos passaremos, mas ele continua lá, lutando na sua honda 82, mas de cabeça baixa, sem o sorriso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário