sábado, 16 de abril de 2016

zig-zaguendo

A  manhã que se acende,
E alumia todo o mundo,
Imenso mundo, claro sol.
Hoje as nuvens ocultaram o sol,
Desprende sobre a terra uma tênue chuva.
Está nublado, tudo molhado.
Há dias que perdemos as referências de nós
E até nos questionamos sobre quem somos nós?
Nos é estranho a chuva, ou o sol, ou o céu...
Há dias assim, deveras...
Dias que nos pegamos angustiados
Por não entendermos as confusões que há no mundo.
Deveras angustia o embaralhamento do mundo,
O caos que se faz em nosso ser.
Viver é uma dádiva e por isso mesmo complexo,
Não sabemos nada sobre nossa existência...
É tão subjetiva essa experiência
Que cabe a cada uma sua experiência,
A mim, gosto de muitas coisas,
E sigo vivendo nesta manhã de sábado chuvosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário