domingo, 30 de agosto de 2015

Humanizar

Perceber a noite chegar
E ver sem dormir a noite partir,
E viver o dia completo,
Nestes insegurança,
Sofrimento, dor e medo.
Agosto, Agosto,
Tu que partes,
Carregado de tardes frescas,
Tardes de vento constante,
Levas a clorofila das folhas castanholas,
Que se tingem de crepúsculo.
E a minha mente está tão dilatada...
E a minha vida em tempestade,
Eis a humanidade
Se humanizando em nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário