quarta-feira, 6 de maio de 2015

Plena noite de lua

A noite,
Ontem a noite enluarada,
Lua cor de prata,
Crescia em busca do céu,
A todo momento
Um véu de nuvens,
Apagava e acendia a lua.
E contemplando a lua,
Pensava sobre a brevidade da noite,
E nos ciclos da lua,
A rua estava vazia,
Silenciosa
E só o apito quebrava o silêncio,
Quando acordei a lua estava diminuindo,
Partido para o amanhã,
Enquanto isso os grilos cantavam
Não sei se para a lua ou para a madrugada ou para a aurora...
E minha alma sorriu alegre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário