domingo, 22 de fevereiro de 2015

Eu

Que sou eu?

Um dia fui gerado e
Um dia nasci,
E sempre fui cuidado com carinho
E sempre fui amado,
Mas chegou o momento que tive que partir,
Chegou o momento que tive que fazer minhas próprias escolhas,
É algo semelhante a aprender a caminhar,
A gente tenta, cai, tenta e cai até que aprende a caminhar com as próprias pernas.

Talvez minhas escolhas a princípio pode ter parecido erradas,
Mesmo assim segui em frente,
As amizades que construí foram primordial para nunca desistir...
E hoje vejo quantas coisas e lugares que tive que passar,
Quantas pessoas conheci,
Quanto medo passei,
Quanta coisa me fortaleceu,
Agora eu sei que o mais importante é enfrentar cada momento
Com determinação, com convicção,
A vida se passa no momento presente,

Do meu tempo ocioso, encontrei na leitura meu refúgio,
Diante do meu medo encontrei em Deus o consolo e minha força...

Sempre fui muito de imaginar,
As vezes de tanto viver na imaginação deixei de viver o presente,
Mas hoje aprendi que há o meio termo de Buda e Aristóteles.

Dizem que Sócrates tinha uma voz interna,
Acho que também tenho, ou simplificando Deus sempre esteve em meu peito.

Bom descobri muitas coisas em minhas leituras,
Na maior parte do tempo que lia, estava na verdade dialogando comigo mesmo,
Talvez agora possa ouvir os tantos autores que li,
De verdade,
Borges, Pessoa, Drummond e Bandeira me fizeram pensar...

Confesso que sou mais adepto da pintura que da literatura,
Sei lá,
Gosto de música, mas não é minha grande paixão como foi a de Nietzsche.

Bom encontrei em Gandhi uma palavra de paz e sempre volto a relê-lo.
Por incrível que pareça, aprendi com Gilsão um amigo de residência
Muito mais de espiritualidade que podia imaginar.

Eu sou um pouco daqueles que se aproximaram de mim,
Sou e continuo sendo,
Até quando?
Só o Pai celeste sabe,
Todavia enquanto eu viver
Que tenha paixão pela vida, dia a dia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário