terça-feira, 7 de outubro de 2014

M - A - N - H - Ã

Um sabiá cantando longe,
Sanhaçus e patativas cantando perto,
Manha nublada.
Abro a janela para ver o mundo,
Meu mundo termo ainda desperta.
Aos poucos vejo as formas,
Vejo o céu,
Vejo o que me cerca,
Vejo as palavras impressas nas coisas,
N U V E M numa nuvem,
P - A - S- S- A - R - O...num sanhaçu...
Tudo tem nome e o que não tem eu ignoro...
Algumas coisas tem nome, mas ignoro por desconhecer,
E assim crescemos como a manhã, como o dia.
E as aves cantam por generosidade a beleza,
Nada mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário