domingo, 9 de fevereiro de 2014

Chuva e a noite que caem

A noite calma que passa suave
Está tão gostosa,
Por hora desfia do céu uma fresca chuva
Chuva que se derrama por benção
Cai e mata a sede das ervas e árvores,
E permite que a natureza do amanhã
Seja distinta do que foi hoje.
A chuva que cai canda para minha alma,
Seu canto doce eco me faz feliz.
Pingo a pingo ecoa num doce som,
Ecoa num só tom
E a brisa molhada invade minha sala seca.
E o meu ser é todo cansaço
E a cama meu altar
Trará energia para um novo dia...
E a chuva cai, como a noite
Suave e lentamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário