terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Acordar

Hoje, quando acordei,
Foi tão bom.
Senti a vida pulsando,
Senti uma alegria gritando,
Dentro de mim,
Igualmente ao canto das aves
Que cantavam
Como se estivessem felizes
Como se cantassem para o sol que nascia.
Hoje, quando acordei,
Percebi que o sol ainda ia nascer,
E me senti renovado como se tivesse renascido com o sol.
Senti a brisa da manhã invadir o meu corpo,
Senti aquela brisa que vindo mar, ou além do mar
Fazer parte de mim, mesmo que nem percebesse, mas hoje percebi.
E ao levantar e ao caminhar até a cozinha senti as minhas pernas,
E percebi quanto é bom poder de deslocar.
Enchi o copo com água.
Água pura, sem gosto, geladinha
E tomei todo o copo e senti e percebi que aquela água que estava na geladeira
Naquele instante me constituía.
Esqueci o mundo, não liguei o rádio e li uma máxima  de Epiteto...
Matutei por um certo instante.
Fui a janela e contemplei as minhas flores.
E tive um dia tão diferente.
E assim vivi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário