quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Manhã cantarolada

Que encantada manhã de janeiro,
O vazio de um enorme espaço
Completamente em silêncio de fala,
Apenas o maravilhoso cantar das aves
E o ronco do ar a refrigerar,
Saudosa manhã de janeiro,
Em janeiro tudo é tão fagueiro,
Será, apenas minha tal impressão?
Esta manhã seguirá até o fim,
Como as coisas seguem para o fim
E o tempo para o infinito,
Mas como é belo o canto do sabiá,
Do roxinó...

Nenhum comentário:

Postar um comentário