sábado, 11 de janeiro de 2014

Angustia da existência

Noite escura,
Noite profunda,
Um pouco de doce à solidão,
Um pouco de doce a escuridão,
Dos olhos fechados,
Do peito apertado,
O cheiro das flores colhidas na noite anterior,
A ausência de sentido em tudo...
Ao menos as memórias,
Ao menos as ideias!
Nada, absolutamente nada faz sentido,
Talvez fizesse, se despencasse,
Mas tudo continua como
A noite segue.
Grilos, estrelas, escuridão
E a Desilusão,
E nada mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário