domingo, 26 de janeiro de 2014

A vida é um dia

A vida termina.
Em pouco tempo a vida se vai.
O suspiro que surgiu do amor
E se desenvolveu e veio a ser e é
Tem um fim.
E como explicar os hiatos da vida?
Momentos de profunda tristeza
Ou até mesmo de profunda alegria.
Os encontros casuais entre as pessoas,
E os desencontros seriam casuais?
Como explicar o gostar, o sentir, o carinho?
Serão apenas sensações humanas?
O espirito que rege a razão humana?
O espirito humano que ecoa entre gerações.
A vida termina.
Serão nosso instintos animais que nos oculta esta máxima.
Será que nossa ergia vital dissolve esse pensar?
A vida é um dia.
E a luz que emana do sol
Ilumina todo que vemos, percebemos
E vemos a realidade,
Mas a ignoramos...
Não é belo o canto de um pássaro,
E as paisagens que vemos?
E não nos assusta saber que a vida acaba?
Talvez se aceitarmos a realidade
A vida será mais agradável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário