quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A noite e nossos desejos

A noite,
O vento soprando do mar,
O céu azul marinho,
Estrelas piscando,
Grilos a ciciar,
O ponteiro do relógio a se mover
Segundo por segundo sem que percebamos.
A noite nos convida, antes de dormir
A comer.
Nosso espírito de barata que nos faz lembrar,
Do chocolate no armário,
Do doce na geladeira,
Dos biscoitos...
Hum! é preciso ser muito forte,
É preciso fugir deste pensamento,
E fugimos para outro pensamento
O sexo, nossa, nestas horas é péssimo está sozinho,
Sem comentários,
Já não há leitura em que nos concentremos,
Graças a Deus nem novelas e nem filmes,
Agora só me resta dormir,
Mas os desejos da carne,
Cortam na carne.

Um comentário:

  1. O outro lado do cientista. Um homem sensível e culto. Raro, singular.

    ResponderExcluir