quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Refletidas

Quantas são as fazes da vida?
Tudo poderia ter sido tão suave.
Por que me cobrei tanto?
Não imaginava que a vida passava tão depressa.
Agora que sei quanto tempo me resta,
Deixei de fazer tantas coisas,
Nem se fui feliz pelas minhas escolhas,
Felizes ou não a vida passa!
O tempo passa,
Tudo passa,
E não podemos esperar parados,
Temos que fazer as coisas acontecerem.
De vez em quando ouvir Mozart,
Ler Borges ou Drummond ou Neruda,
Apreciar Gogh,
Apreciar o mar ou o céu ou a lua,
Ou apreciar o que se ver.
Nosso universo as vezes é tão melhor do que o universo
do outro e nem percebemos,
Não conseguimos perceber a intersubjetividade...
Mas a vida continua,
A vida é imortal,
Enquanto vida existir,
As coisas belas serão refletidas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário