terça-feira, 15 de outubro de 2013

O vago da noite

A noite caiu tão depressa
Que nem vi o sol partir.
A noite caiu e quem viu?
O sol de hoje se foi,
Um dia a menos,
Tanto esforço
E tanto cansaço!
Tudo foi levado pelo fim da tarde!
Amanhã é outro dia,
Outra luta, outras coisas acontecerão.
Engraçado, sempre cremos na felicidade
Presente no passado.
Cadê a tarde e o sol rubro?
Sei lá, ainda hei de ver!
A solidão e os livros e as aulas
Me acompanham!
Sinto falta de minhas doces leituras!
Sinto falta das tardes!
Tudo se foi com a tarde e o tempo...
Será isso mesmo que eu quero?
Goethe dizia que um homem sem tempo
é um homem sem métodos.
Acho que não tenho métodos...
E ansiedade horas tomam conta de mim,
Horas a esqueço!
Ainda bem que posso ouvir Pessoa, Neruda e Borges!

Nenhum comentário:

Postar um comentário