segunda-feira, 17 de junho de 2013

Que há na noite

A lua crescente brilha no negro céu,
nesta noite atropurpúrea e fria,
o verão se despede
logo virá o inverno.
O chão úmido logo se desprenderá em poeira.
Tantas coisas poderão acontecer,
e quem sabe como ocorrerá.
Quem esteve aqui,
e quem estará...
Manhãs frias e secas.
Posso fazer algo ou nada.
Agora é noite de lua crescente.
É quase meia noite,
é quase lúcido silêncio,
as feras dormem e sonham
com seus objetos de desejo,
as mulheres da vida se sujeitam
para ganhar o pão...
Talvez quem sabe olhará a lua,
de certo sentirá o frio,
desta noite de segunda,
desta noite de lua crescente,
de ruas vazias....


Nenhum comentário:

Postar um comentário