domingo, 21 de abril de 2013

Que buscamos?

Nesta vida não temos muitas certezas. Talvez só tenhamos a certeza da morte. Mas o que buscamos no viver?
Eu acordo e vejo o mundo, ouço o mundo, sinto o mundo e sei que sou parte do mundo.
Sei que todos nós somos peculiares com nossas motivações, com nossas tristezas, com nossos medos e tudo que nos cerca e nos ensina.
Quando eu acordo e não tenho que sair da cama num feriado ou fim de semana fico pensando na vida. Não costumamos pensar na vida. Somos hábeis em executar ordens, na maior parte das vezes somos pragmáticos. Pensamos na vida quando saímos de nossas zonas de conforto, na dor e no sofrimento. Quando algo de ruim nos cerca paramos para pensar e tentar nos livrar deste medo.
Bem eu acordo e penso na vida, nas pessoas que me cercam que me são próximas e tento encontrar um sentido para a vida. Precisamos todos os dias buscar um motivo para viver e assim tentar achar uma certeza que dê um norte a vida e assim não venhamos a afundar neste barco incerto que é a vida. Agora me seguro neste texto, no cantar, lá fora, do rouxinol e na manhã radiante para não afundar na incerteza da vida. E o que vem a minha mente neste instante é uma linda paineira florida que me arrebatou ontem. Eu tento encontrar um motivo para continuar vivo.
E se olho para o leque que representa minha vida só consigo ver incertezas e problemas sentimentos que me angustiam. Como disse, acordo e fico pensando cheio de esperança, mas me levando e quando começo o dia tudo está tão embaraçado...
Não temos que ter certezas, acho que isso é o belo na vida, pode ser contraditório, pois a certeza da morte é tão cruel... Omnia Vanitas... Tenhamos esta certeza ao menos para nos livrarmos dos maus sentimentos... Quem sabe!?

Nenhum comentário:

Postar um comentário