sexta-feira, 19 de abril de 2013

Especiais talvez!

Todos os dias, todas as horas, todos os minutos e todos os segundos, o tempo todo, queremos ser especiais e assim nos sentirmos, mas somos realmente especiais? Sim somos, mas antes de tudo nos é soberano nosso egoísmo em qualquer coisa ou situação que seja. Neste quesito, somos literalmente crianças mimadas onde fala mais alto nossos egos e jamais almejamos ceder. Caso não sentimos um retorno, sofreremos profundamente. Na vida, não existe receita para o crescimento senão através da dor. É a dor a agulha com que se tece a grande coxa  que é a vida. Esta verdade só nos é revelada ao longo da vida, de maneira muitas vezes ácida e amarga. A vida nos ensina a podar nossas vontades e ao amadurecer, deixamos para trás as dores e as feridas.
Algumas vezes, não temos força, nem conseguimos aprender e já fugimos para outra situação e desta forma vamos apenas adiando e substituindo o sofrimento e marginalizamos a experiência, o aprender. É difícil, mas muitas vezes temos que ceder a dor.
Para nos sentirmos e sermos especiais é preciso antes de tudo encontrar no outro aquilo que lhes é especial. Talvez se vermos e encontrar algo de especial no outro, possamos encontrar o reflexo do especial em nós mesmos. Para isso temos que abrir mão de nosso ego, temos mais uma vez que doar parte de nós ao outro. Talvez quem sabe assim encontremos a felicidade e o que tanto buscamos o tão almejado sentimento de nos sentirmos especiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário