segunda-feira, 11 de março de 2013

A tarde que passa


Mais uma tarde se foi em minha vida.
Esta tarde foi tão agradável e bela.
Quantas tardes já não se passaram,
praticamente uma eternidade de tardes.
Tardes como esta que se passaram
em puro silêncio.
Tardes como esta ensolarada,
sem um sopro de vento.
O lago era um largo espelho brando.
O céu azul desenhado por nuvens
suaves, oras azuis, oras brancas ou vermelhas.
Quantas tardes como está já não se passaram?
Quantas tardes adormeceram para a eternidade.
Olhos que contemplam podem não poderão contemplá-la
nunca mais, nunca mais.
Olhos que pela primeira a viu
terá uma vida pela frente para descobrir
os teus mistérios.
Vivo tentando entender a tarde,
tentado encontrar um pouco de mim nelas,
tentando ser um pouco parte dela.
Os pombos voltam de seus passeios,
papagaios voam aos casais.
E a tarde se desfaz,
E a tarde se desfaz. 
E minha vida, por um fio
o que me trás?
Só o criador saberá o que será do meu amanhã,
é ele quem sabe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário