quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Sertão vivo

Vivo,
vivo é o sertão.
Quando cai a chuva.
Rolam as pedras riacho abaixo.
Canta a juriti.
E os campos cinzas
logo de verde se veste.
E todo o sofrimento da estiagem é esquecido.
Cada dia tem menos gente no sertão.
Cada dia mais aumenta o vazio no sertão.
Todas as memórias são apagadas.
O tempo faz tudo sumir...
Guardo no peito
um sertão
as vezes belo,
as vezes cinzento...
O sertão é como a vida
grande e cheio de mistérios,
as vezes curto e descoberto...
Vivo o sertão sempre está vivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário