sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Questões

Hoje quando acordei, abri a janela, como sempre faço, permitindo que a brisa entrasse e ainda para poder ver ver o céu e lá nos fundos. Uma lufada atravessou a janela e me encheu de nostalgia. Pensei comigo: o que estou fazendo de minha vida? Qual o meu propósito? Dei-me conta de que estou sem propósito e isto me deixou mais triste.
Olhei através da janela e o céu estava cinzento, translúcido como meus pensamentos, nem vi o eucalipto.
Li as manchetes dos principais jornais, uma ou outra coluna. Tudo me pareceu tão insípido, incolor...Ou seria meus sentidos que não reagiam aos estímulos.
Eu me senti inútil como o cão deitado na palha seca.
O que eu fiz ou deixei de fazer? O que eu sou?
Sequer encontrei respostas para as duas perguntas anteriores... Pensei em ser tanta coisa, mas não sou coisa alguma. Este foi ou é o pior sentimento que já  me acometeu...
Para fugir destas ideias, fiz um chá, sempre funciona, mas não adiantou...
"Estou me sentindo um inútil"
Ah, por que estes pensamentos existem e por que quando encrostam em nossa mente fica lá nos incomodando...  
Bem, não consegui me livrar desta sensação ainda...
Temos que nos reter aos estímulos externos para fugirmos de nossas piores sensações.
Bom com calor, sinto-me incomodado...
O incomodo gerá essas ideias...
Ah, mas essa brisa veio só desequilibrar minha homeostasia ou talvez, se tivesse permanecido na minha cama como pedia meu corpo nem tivesse pensado essas coisas...
Acho que é o fim da estação.
Sabe lá... ficam as questões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário