quinta-feira, 29 de março de 2012

Fria manhã

Embora a manhã tenha nascido ensolarada, faz frio. Um brisa gelada entra pela janela. Através da janela posso ver quanto está belo o meu jardim. A dichorisandra está florida, a nephrolepsis está viçosa e a alamanda parece sentir frio, pois está sem flor. Um sabiá canta na acácia. Meu coração parece uma manhã de outono. Sinto um frio na espinha. Vou mudar de cidade e de jardim e de ambiente. Eu que tanto amei esse outono Paulistano, agora tenho que partir e aprender a viver em outros outonos e outros lugares. Eu que já vivi a vida sem outono só de verão e inverno. Hoje sinto ter que ficar sem outono. Viver é mudar como as estações. Na transição é difícil, mas logo se supera. E a manhã continua fria e o dia segue, como a vida segue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário