quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Paraíso

E quando a noite chega, depois que o sol partiu, tudo é escuro.
As flores se fecham e a natureza silencia, apenas o riacho canta noite a dentro.
Suas águas limpas, cansadas, fluem sempre para baixo.
Os pirilampos piscam, piscam e piscam
remedando as estrelas.
Os lobos saem a caça, assim como as corujas e os morcegos.
Vez por outra uma coruja canta chamando a meia noite.
Tudo é escuro, tão natural.
No jardim sapos comem insetos sossegadamente,
A brisa da noite sopra suave,
e a noite vai indo, silenciosa como o sono de criança.
Vai levando os sonhos das crianças
para o paraíso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário