quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Transição

Hoje, manhã de janeiro, amanheceu numa gostosura. Abri a porta e fui ao jardim por banana para os sanhaçus e quando sai no jardim, senti o cheiro úmido da  manhã e senti ainda o abraço frio da brisa que soprava do norte. Minhas plantas do jardim estavam tão lindas, pareciam me agradecer por cuidar delas, demostrando sua beleza com toda intensidade. Minha Dichorisandra até abriu uma linda flor lilás e a Russelia várias flores vermelhas. O sanhaçu veio até o muro, deliciou-se com a banana e cantou seu canto singelo.
Hoje, 25 de janeiro, é aniversário de São Paulo e por incrível que pareça consegui visualizar ou acessar memórias de quando morava em Serrinha dos Pintos. Sempre via na te, a sena do bolo gigante. Eu nem imaginava que viria morar aqui.
Aqui estou, feliz com as manhãs, com as plantas com a vida. Todavia sei que tudo vai mudar e continuar mudando, porque o tempo cristalizado é um tempo morto e o mesmo serve para as pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário