terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Dolce manhã

A manhã surge fria, úmida e silenciosa.
Hoje até os pássaros permaneceram em silêncio.
Meu quarto pareceu tão aconchegante.
Sob meu cobertor me senti tão protegido
e contente porque não feliz.
Naquele momento tudo estava tão pleno.
Nem queria levantar, mas tive que fazer.
Continuo agora no meu quarto,
só ouço o som das aves que já
despertaram. Vez por outra recordo
uma frase de Borges ou de Pessoa
e me sinto muito feliz.
Sinto-me muito feliz
com meu mundinho,
minhas estranhezas,
E fico grato por essa dolce manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário