terça-feira, 15 de novembro de 2011

Chuva

A manhã uma suave é banhada pela chuva.
Enquanto a brisa atravessa a janela é tão fria.
As aves corrochiam longe.
As águas da chuva escorrem sobre os telhados
marrons e se quebram no chão
anunciando a presença da chuva.
O sol nem deu as caras,
as nuvens barraram a aurora.
O dia amanheceu, mas o sol ficou longe,
feito ébrio que está quase acordado,
mas distante do mundo.
As nuvens se movem no céu
da manhã que antecede o fim do ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário