sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Noite perdida

A noite caiu escura,
quantas vezes a noite cai,
quantas vezes vem e vai,
e tu não reparas nas estrelas,
não reparas na lua.
A noite não existe para baladas,
a noite não existe para a solidão,
a noite não existe para procriação,
a noite não existe,
a noite deixou de existir para nós,
já não é algo romântico,
já não nos orienta.
Mas creia sinto falta
da noite estrelada,
da noite de lua,
da noite perfumada de caju.
Hoje só percebo a noite
porque faz silêncio,
porque muitas vezes,
não vejo a noite,
pois tenho a noite
dentro de mim,
uma noite que quero fazer dia,
tenho o escuro da noite
dentro de mim,
mas o escuro que há
dentro de mim é o escuro
da ignorância, sem estrela,
sem lua, sem som do vento,
e todo dia tento preencher,
manter acesa a luz de vela,
tento apagar a minha ignorância
e muitas vezes,
perco a noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário