domingo, 2 de outubro de 2011

Anoitece

Posto que anoitece e dentro de mim também escurece,
sem estrelas, sem brilho. Dentro de mim há algo escuro
há algo frio, existe um vazio de ser. Sim ser esse algo
vazio que não preenche nem a si e como preencher
o outro, como doa-se para o outro se não me doo
a mim mesmo, tantas vezes me privo de viver tanta coisa,
esperando sabe lá o que. Esses sentimentos me entristecem,
pois vivo preso a minhas ideias e minhas ilusões.
Posto que em meu peito o sol também
se apaga, tenho dor não calma, sinto aflição.
Não vejo estrelas em minha noite negra,
sinto o frio úmido pos chuva.
Ouço algo que me contenta, os últimos cantos
da tarde, cantos de um bem-ti-vi,
que delícia ser uma ave que espera
a  noite e espera mais um dia,
queria sentir essa liberdade.
Queria falar com alguém além de mim.
Chega de monólogos,
mas anoitece e todos dorme,
todos tem os seus sentimentos,
todos estão com seus sofrimentos,
ou suas grandes alegrias.
Posto que anoitece, anoitece emfim, mais um domingo,
amanhã é segunda-feira e tudo começa
novamente, quero acordar sorridente,
porque agora meu eu entristeceu, pois anoiteceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário