domingo, 18 de setembro de 2011

Ser e saber


O que está por trás da gênese do conhecimento?
Sempre achei que haveria algo que me daria inteligência,  faria-me captar tudo que desejo saber de uma só vez, de maneira a estudar e aprender o mais rápido possível sem muito esforço.
Eu achava que haviam pessoas mais ou menos inteligentes, pessoas com essa capacidade de coleta de conhecimento. Nunca havia imaginado que o conhecimento como qualquer coisa que se quer conseguir exige tempo, trabalho e muito esforço.
Só com o passar dos anos, depois de muito ler, de buscar entender epistemologia é começo a compreender que  não exige essa fórmula mágica, mas alguns fatores influência na capacidade de compreenção, como por exemplo que o lugar onde é criado influencia na sua maneira de apreender o mundo.
O desejo de aprender de ter conhecimento tem que partir do eu de dentro para fora. Temos que perceber o mundo, compreender e então aprender sempre mais.
Porque conhecer é aprender a viver e viver bem melhor.
Num dos livros do Foucault de título "Arqueologia do Saber" em que li e  não compreendi muita coisa, creio que falava da gênese ou história do saber. Serviu pelo menos depois para compreender como se daria o meu processo de conhecimento.
Primeiro para adquirir saber e ou conhecimento tem que ter curiosidade, uma sede de entender como  funciona o mundo entender os símbolos entender o significado das palavras. Como qualquer animal que necessita se alimentar e apreende o que deve fazer para aquirir alimento, também assim o somos, mas temos que irmos mais além, do necessário, temos que buscar o alimento para a alma e o conhecimento é esse alimento.
Segundo tem que alimentar  essa curiosidade seja qual for a forma, temos diferentes maneiras de entender o mundo, diferentes povos. Essa diversidade cultural enriquece nossa maneira de ver o mundo e compreender e aprender.
Terceiro tempos que tentar transformar o mundo, modificar o mundo para melhor viver.
Sendo assim como na arqueologia em que vai se encontrando peças, evidências vai-se criando e contando uma história dando sentido a vida, assim o é com o nosso saber.
Sendo assim é a construção do conhecimento algo que é gerado e substancialmente vai criando forma e vida própria.
Gosto de outro livro do Foucoult "A hermenêutica do Sujeito" o qual o autor explica muitas coisas importante na vida uma das principais coisas é o cuidado de si.
Falo muito deste autor pois foi lendo ele que passei a compreender muitas coisas sobre mim e sobre a compreensão do mundo. Precisamos dar sentido ao mundo partido de como percebemos o mundo.
Sendo assim busquei na pintura acima vemos uma figura de um ser humano adulto deitado em posição fetal uma forma de explicar como o conhecimento pode ser gerado dentro de nós. Dessa forma percebo ou concebo o mundo e a alma. Somos seres que nos tornamos independentes do corpo de nossa mãe, mas que necessita está ligado afetiva e psicologicamente a eles de maneira que tenhamos a máxima semelhança possível.
E isso responde minha pergunta, acho que não, pois não seria um simples texto que explanaria o conhecimento, mas que dá evidências para a busca se uma arqueologia do saber.

Nenhum comentário:

Postar um comentário