sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Devir

É noite, quase meia noite. Fez muito calor no começo da noite, mas já pode-se sentir o frescor trazido pelo vento que entra pela janela que ainda está aberta. Assim de vez em quando tentar ver uma estrela. A noite está tão silenciosa, nenhum cão late, vez por outra passa um carro ou posso ouvir o acoite do vento nas folhas das árvores. No meu quarto, meus livros são meus companheiros, quanto me revelam do mundo. Tenho sono, mas  queria aproveitar só mais um pouco desta sexta-feira. Sim aproveitar para pensar um pouco  na vida. Não posso sentir ou perceber uma boa ideia nascendo em minha mente. Acho que por isso leio tanto. Falta criação, bem ao menos ainda me admiro da noite, das coisas feitas pelo homem. É quase meia noite e o vento vem de acoite, preciso dormir e acordar e trabalhar e afirmar minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário