segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Som ao vento

As flores murcham e secam ou se tranformam em frutos.
Onde está a beleza da rosa depois de despetalada?
Tudo é efêmero. Logo tudo passa e cai no esquecimento,
nada é eterno, podemos ter obras que se imortalizam,
é o que cremos, mas simplesmente a ideia como uma
semente continua viva a se expressar por se mesmo.
As vezes temos crenças tão maravilhosas e vem
alguém a as poda, não sentimos o chão e como uma
cipsela somos levado para longe, precisamos
nos recompor e nos reconstuir nessa efemeridade
que é a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário