segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Sangue e alma

Não podes encontrar minha alma,
não podes me encontrar com calma,
pois em meu peito bate o coração,
em meu peito infla cada pulmão.

Circula em meu corpo
o quente sangue,
sangue cheio de ar,
sangue líquido,
sangue sólido,
circula sem parar,
em minhas vias quentes,
em minha mente quase sempre ausente,
há de está minha alma,
há de está minha calma.

Minha alma certamente está lá,
porque estou cada dia
no passado, no futuro
e no presente,
sou mais nunca estou,
quando arde em meu peito,
quando uma lágrima desfia
de meus olhos,
quando explode o meu peito
tanto ar,
quando como uma caldeira
meu sangue pulsa,
sou mais humano... sou mais animal,
porque sei que corpo e alma
neste instante são um só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário