domingo, 21 de agosto de 2011

Onde algo começa e onde termina?


Não se sabe, pois a vida é incerta e curta. O que me espanta e o que me desperta, certamente não desperta em outrem. Porque somos muito peculiares. Temos nossos mundos subjetivos que queremos enche-lo de tudo que há de melhor, mas nem sempre fazemos o devido esforço para atingirmos os objetivos, por semos insolentes ou preguiços. Dispendiamos nosso tempo tentando satisfazer nossos desejos sensuais. Adoramos colher os frutos, mas odiamos preparar a terra, gostamos do resultado pronto, achamos muitas vezes que o tempo dispendiado não vale a pena. De fato não sei o que despertou em mim uma louca vontade de saber tudo, não sei. Agora confesso que sou cabeça dura como meus parentes e como meu sobrinho mais novo e por ser cabeça dura, sempre que ponho uma ideia na cachola, quero provar que estou certo e essa persistência me levou a descobrir muitas coisas interessantes e a me despertar para o mundo abstrato. Sempre quis ser mistérioso o que não conseguir por não saber guardar segredos. Tenho que nem eu mesmo consegui arranhar, onde tudo começou, sei como tudo pode terminar. Na verdade tenho medo do incerto. Amanhã quem sabe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário