quinta-feira, 5 de maio de 2011

Silêncio

O silêncio foge de mim. Não consigo esta em pleno com o silêncio. No meu peito há um coração que não para de bater, sinto o pulsar intermitente em minhas veias. Minha mente calar. Vivo em eterno monólogo. As vezes para me livrar do som de minha mente, como uma fruta, olho para o céu, para os jardins e tento simplesmente sentir o momento sentir que algo é silencioso além de mim. Olho para o verde das plantas, as cores das flores, inspiro os odores do mundo. E respiro e inspiro. Sinto então a harmonia que há no mundo onde há caos e sinto dentro de mim um cosmo. Mas não consigo entrar em harmonia com o silêncio. Admiro muito suas qualidades, suas virtudes sua beleza, mas não sei ser como as árvores silenciosas. Não, realmente, não sei ser como as árvores imparciais. Algo dentro de mim expulsa o silêncio e não sabe calar.
Na busca de aprisionar o silêncio estou aprendendo a me calar e quem sabe tenha algo dele dentro de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário