terça-feira, 3 de maio de 2011

Saudades

Quando chega o fim da tarde que o céu se pinta de vermelho.
Hora em que o majestoso crepúsculo anuncia que o sol se vai,
quando a natureza toda cora de vermelho, e o vento frio da noite,
vento do inverno que se aproxima, toca minha face e todo meu
corpo. Sinto uma saudade de ti tão imensa como todo o céu.
Uma vontade de está contigo e fazer coisas simples como tomar
uma sopa, ir ao cinema ou ficar por perto como uma mãe que
cuida de seu filho. Então logo chega o ocaso e por fim é noite.
Então espero que esta seja longa para que eu descanse e
me sinta recuperado na nova manhã e então conto os dias,
logo estaremos juntos novamente. Como o sol no nascente,
como o sol no poente logo estamos presente e ausente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário