sexta-feira, 13 de maio de 2011

Céu

O céu da manhã está tão azul.

Cirros brancos tornam o azul mais claro.

Suave e leve uma borboleta passou voando,

Vinha de algum lugar,

Nem posso imaginar de onde,

Sei que passou leve voando e planando,

Como golfinho nadando saltando e mergulhando

No fundo do oceano, a bela borboleta,

Mergulhava e saltava pra fora da terra,

Mergulhava no céu pleno azul,

Um voo horas errante,

Não sei que sentido seguia,

Talvez nada seguisse,

Voava sem compromisso,

Voava por voar, talvez para

Exercitar suas asas,

Ou estava a espreitar alguma flor.

Aproveitava o céu azul

E cheio de cirros.

Aproveitava sua breve jornada,

A linda borboleta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário